Psicoterapia no Rio de Janeiro

1) O que é psicoterapia?

A psicoterapia é uma relação onde há uma troca entre paciente e o terapeuta especializado, com o objetivo de compreender os problemas de ordem pessoal e profissional, as angústias e as insatisfações daquele que a procura, a fim de contribuir com a pessoa para que sua vida seja mais dinâmica e mais realizada.

O termo abrange uma variedade de técnicas, todas as quais destinadas a ajudar pessoas emocionalmente perturbadas a modificarem seu comportamento, seus pensamentos e suas emoções, para que possam desenvolver melhores maneiras de lidar com o estresse e com as outras pessoas. O cliente é estimulado a discutir preocupações íntimas, emoções e experiências livremente sem medo de ser julgado pelo terapeuta ou de ter suas confidências traídas. O terapeuta, por sua vez, oferece empatia e compreensão, engendra confiança e tenta ajudar o cliente a desenvolver modos mais eficazes de lidar com seus problemas.

2) A psicoterapia é coisa de louco?

Na verdade não, o ideal seria que todos nós fizéssemos terapia, porque todos nós temos momentos confusos de infelicidade, incapacidade em lidar com as próprias emoções, agressividade, insegurança, dentre outros, onde a vida parece não ter sentido.

3) Para que serve a psicoterapia?

A psicoterapia, auxilia tanto para solução mais satisfatória dos seus problemas e conflitos quanto na busca de uma melhor qualidade de vida, elevando o autoconhecimento; assim, o indivíduo torna-se mais próximo do seu verdadeiro eu e integrado em suas esferas: física, mental, emocional e social.

4) Quando buscar ajuda?

Alguns problemas são difíceis de resolver sozinho. Nossa tendência ao autoengano faz com que tenhamos dificuldade para ver os problemas de maneira objetiva, e podemos não estar consciente de todas as soluções possíveis. Se você acha que está fazendo pouco progresso no sentido de controlar um problema, é hora de procurar auxílio profissional com um psicoterapeuta. A sensação de que algo não está bem consigo ou com sua vida, dificuldade de tomar decisões, problemas de relacionamento, conflitos insolúveis, perda de prazer em atividades ou em relações anteriormente agradáveis, choro freqüente, insônia, fadiga, nervosismo, emoções permanentes e excessivas de tristeza, medo e raiva são exemplos de sinais de alerta que merecem cuidados e atenção adequados.

A disposição de procurar auxílio é um sinal de maturidade emocional e não de fraqueza; não espere para se sentir sobrecarregado. Procurar ajuda psicológica quando necessário deve ser aceito como hábito de ir ao médico por problemas de saúde.

AGENDE AGORA A SUA CONSULTA PARA FAZER UMA AVALIAÇÃO!