Terapia de Casal

Problemas de comunicação de sentimentos, satisfação de necessidades e reação adequadas às necessidades e demandas do outro são intensificados no contexto íntimo do casamento.

A elevada taxa de divórcio e o número de casais que procuram auxílio para dificuldades em seu relacionamento fazem da terapia de casal uma alternativa cada vez mais procurada.

Estudos demonstram que a terapia conjunta é mais eficiente para a resolução de problemas conjugais do que a terapia individual para apenas um dos parceiros.

A terapia de casal procura auxiliar os parceiros a comunicar seus sentimentos, a desenvolver maior compreensão e sensibilidade às necessidades um do outro e a desenvolver modos mais eficazes de lidar com seus conflitos. Alguns casais entram no casamento com expectativas muito diferentes, muitas vezes fora da realidade, em relação aos papéis de marido e esposa. O terapeuta pode ajudá-los a esclarecer suas expectativas e a chegarem a um meio-termo que agrade a ambos.

Dentre os motivos mais freqüentes que os casais buscam ajuda na terapia de casal estão:

(1) dificuldade ou ausência de comunicação;
(2) brigas em excesso;
(3) falta de habilidade para se expressar de um dos parceiros ou ambos;
(4) traição sexual ou emocional;
(5) dificuldades sexuais;
(6) falta de comprometimento de uma das partes;
(7) mudanças individuais de um dos parceiros;
(8) desgaste da rotina;
(9) agressões, mesmo que disfarçadas de ironia;
(10) educação dos filhos;
(11) carreira e dinheiro;
(12) diferença de valores;
(13) ciúmes ou insegurança em excesso;
(14) excesso de controle;
(15) desconfiança de traição;
(16) problemas emocionais;
(17) machismo;
(18) estresse.


Alguns dos objetivos da terapia de casal são:

Diminuir o intercâmbio negativo entre os cônjugues, corrigindo atribuições causais (culpas) nas interações. Exemplos:

  • “Não acredito que as coisas que eu digo pioram as coisas entre nós dois.”
  • “Qualquer dificuldade que tenhamos, não é por causa da pessoa que eu sou.”
  • “A personalidade dele teria que mudar para que nos déssemos melhor.”

Aumentar a interação positiva entre os parceiros, modificando expectativas irreais no relacionamento. Exemplos:

  • “Espero que João perceba todos os meus sentimentos.”
  • “Espero que Maria seja capaz de saber o que estou pensando.”
  • “É importante que Carlos antecipe minhas necessidades.”
  • “Mesmo que nós mudemos nossos comportamentos, é improvável que nosso relacionamento melhore.”

Proporcionar estratégias para diminuir a interação destrutiva e para solucionar atuais e futuros problemas da relação.