Psicologia Positiva RJ

A Psicologia Positiva é um modelo científico que inclui uma abordagem da psicologia do ponto de vista de uma vida saudável e funcional. Os tópicos incluem otimismo, emoções positivas, espiritualidade, felicidade, satisfação, desenvolvimento pessoal e bem-estar. Esses tópicos (e outros similares) podem ser estudados no plano individual ou de grupo profissional, familiar ou comunitário. A prática da Psicologia Positiva está voltada para a identificação e compreensão das qualidades e forças humanas, bem como para auxiliar no que se refere à construção de vidas mais felizes e produtivas. Desse modo, ela objetiva melhorar a qualidade de vida das pessoas e prevenir patologias. Uma característica central da Psicologia Positiva é que todas as suas aplicações são testadas empiricamente e informadas periodicamente.

Ao contrário da Psicologia tradicional, que se foca no estudo e tratamento de patologias (transtornos) como a depressão e a ansiedade, o novo campo da Psicologia Positiva se propõe a focar mais nas forças que nas fraquezas. Busca promover mais as qualidades do viver do que reparar o que vai mal. Embora alguns dos que estudam a Psicologia Positiva sejam psicoterapeutas (psicólogos), uma distinção típica é que os psicoterapeutas tradicionais se concentram em remover a disfunção, enquanto os psicólogos positivos se concentram em manter ou aperfeiçoar a funcionalidade bem-sucedida. Esse modelo considera a Psicologia muito mais do que uma simples filial da Medicina, preocupada com a doença, sendo sua atribuição também o trabalho com a educação, o afeto positivo, a superação e o crescimento. Portanto, a Psicologia Positiva objetiva pesquisar e trabalhar com os fatores que dão significado no âmbito sadio do ser humano, sem deixar de considerar o sofrimento humano.

Como a Psicologia Positiva pode auxiliar na clínica psicoterápica?

A Psicologia Positiva pode contribuir tanto com a prevenção quanto com a potencialização. A prevenção envolve esforços para interromper o que é ruim e/ou para prevenir a doença. Ela pode ser subdividida em:

Prevenção Primária: objetiva reduzir ou eliminar problemas psicológicos antes que eles apareçam. Podemos destacar alguns exemplos de programas de prevenção primária com crianças e adolescentes em situações de risco, tais como: (a) crianças que tinham probabilidade de usar respostas impulsivas, agressivas ou inadequadas ao se deparar com problemas interpessoais; (b) adolescentes com risco de usar drogas; (c) crianças com risco de desenvolver depressão.

Prevenção Secundária: objetiva reduzir ou eliminar os problemas após o seu surgimento. A psicoterapia tradicional faz exatamente isso, sendo considerada uma forma de prevenção secundária. Para a Psicologia Positiva modificar apenas o que está problemático consiste em apenas parte do trabalho da psicoterapia, sendo preciso reconstruir e fortalecer aspectos funcionais (o que está bom). A orientação positiva da psicoterapia reconhece que os traços positivos da personalidade e os comportamentos adaptativos servem como fatores protetores contra estressores e dificuldades futuras. Desse modo, ao tomar conhecimento dos seus aspectos positivos e funcionais os clientes podem lidar melhor com seus problemas e dificuldades.

A potencialização tem como finalidade produzir mais coisas boas na vida das pessoas, potencializando o que elas querem obter em suas vidas. A potencialização pode ser subdividida em:

Potencialização Primária: objetiva ajudar as pessoas a estabelecer um bom funcionamento e satisfação.

Potencialização Secundária: parte de um funcionamento e de uma satisfação já estabelecidos, e tem como meta ajudar as pessoas a chegar às experiências máximas, ou seja, tornar sua vida o melhor possível.


O que é a Potencialização Primária?

A potencialização primária consiste em um esforço para estabelecer um funcionamento e satisfação ótimos. Esse tipo de potencialização envolve tentativas de aumentar o bem-estar hedônico (maximizar o que é agradável) ou o bem-estar eudaimônico (ao estabelecer e ajudar a pessoa a atingir metas ou objetivos).

Pesquisas mostram que alguns fatores auxiliam uma melhor qualidade de vida e bem-estar. São eles:

1. Relacionamentos interpessoais. Os relacionamentos interpessoais com parceiros amorosos, familiares e bons amigos representam uma grande fonte de bem-estar e satisfação na vida.
2. Espiritualidade ou religião. O envolvimento com práticas espirituais também podem aumentar o bem-estar. Pesquisadores afirmam que a religiosidade e a oração estimulam a esperança.
3. Trabalho gratificante (o trabalho voluntário e o estudo também estão incluídos). O trabalho gratificante constitui uma importante fonte de felicidade. Para muitas pessoas, o trabalho além de proporcionar uma rede social, possibilita testar e usar talentos e habilidades. O bem-estar tende a aumentar quando as tarefas são compatíveis aos talentos e habilidades.
4. Atividades de lazer. Atividades de lazer, como relaxar, descansar, passear, fazer uma boa refeição, atividades recreativas, atividades esportivas e outras podem gerar prazer. Algumas atividades de lazer originam-se da estimulação e de um processo de excitação positiva, ao passo que outras dessas atividades refletem um processo tranqüilo para repor as energias e descansar.
5. Saúde. O exercício físico é um caminho para conseguir boa forma e força, além de ajudar as pessoas a ter mais confiança nas suas capacidades de lidar com rotinas cotidianas. A meditação também é importante para ajudar as pessoas a ter mais equilíbrio para lidar com os estressores diuturnos.


O que é a Potencialização Secundária?

Na potencialização secundária a meta é aumentar níveis já positivos, para chegar ao máximo em termos de desempenho e satisfação. Deste modo, podemos dizer que as atividades de potencialização secundária ocorrem após terem sido atingidos níveis básicos de desempenho e satisfação, obtidos por meio da potencialização primária.
A potencialização secundária da saúde psicológica e física permite que as pessoas maximizem seus prazeres partindo de sua saúde física e mental pré-existente. Eis alguns exemplos dessas atividades que podem levar a potencialização secundária:

1. Momentos psicológicos de pico muitas vezes envolvem importantes conexões humanas, como o nascimento de um filho, apaixonar-se ou o casamento.
2. A busca e a contemplação do sentido da vida aparecem como mais uma abordagem para se chegar a experiências gratificantes. Para isso é importante pensar em nossos objetivos e propósitos de vida.
3. Atividades voltadas para ajudar os outros apresentam um potencial enorme para vivências de momentos de grande satisfação.
4. Aquisição de novas habilidades.
5. Auto-superação física e cognitiva, como, por exemplo, a potencialização do condicionamento físico que ultrapassa o que geralmente é atingido por pessoas que simplesmente fazem exercício físico (níveis de pico da saúde física).

Desse modo, liberto dos seus problemas através de prevenções primárias e secundárias, o cliente e o psicólogo clínico positivo podem dar atenção a potencialização primária e secundária com o objetivo de atingir qualidade de vida, maior satisfação e até experiências de pico. Juntas prevenção e potencialização formam uma díade poderosa para se chegar a excelência.

Partindo do pressuposto de que as doenças (físicas e mentais) são desencadeadas por meio de estressores, a Psicologia Positiva com o seu foco no autoconhecimento dos aspectos saudáveis do indivíduo pode manter os níveis de estresse controlados, ajudando desta forma para a prevenção de doenças.


“O autoconhecimento é o melhor remédio para a prevenção de doenças.”


Alexandre Alves – Psicólogo Clínico

CRP 05/39637